25 dezembro 2012

Feliz Natal!!!

Feliz Natal
 
Feliz Natal!!!
Tenho uma amiga que tem um dom, o dom da escrita. Ela consegue escrever coisas que eu acho muito bonitas, consegue transformar uma pequena situação em algo digno de ser lido, digno de ser registado. Se as pessoas têm dons...este é o dela.
No outro dia pedi-lhe para escrever algo sobre o Natal, ela assim fez. Escreveu-me um conto natalício, e ao contrário de todos os outros que ela escreveu anteriormente, este não ficará trancado no meu computador e no dela, este será partilhado com o mundo, e com todos os que queiram ler.


A estrela dourada
 
A noite está fria, e como em todas as vésperas de Natal, é altura de preparar a comida para a ocasião. No centro da mesa vai ficar o peru assado, à volta o arroz doce com muita canela, decorado por mim como se fosse uma obra de arte, as filhoses, as broas que o meu pai adora e um ou outro doce de Natal que o meu filho elege como sendo divinais.
Eu espero aquecer-me junto á lareira, rodeada pelos que amo e pelos que guardo e trago no coração.
Enquanto espero pelo jantar, espreito pela janela. As luzes coloridas que enfeitam a árvore em frente à igreja brilham, a água do rio Tejo, lá ao fundo, parece que esta pintada às cores e parece–me até, que a lua vai aproveitar a meia-noite e quando me apanhar distraída vai descer, tomar um banho e brincar. Desconfio até que o faça ano após ano nesta noite.
O céu está estrelado e uma das estrelas cintila mais que todas as outras. Eu não resisti e pensei na música que a minha melhor amiga me dedicou “I Wishing on a starrrrrrrrrrrrrrrrrrrr”. Foi ao som da mesma que dei por mim a viajar no tempo...
Ouvi a sua voz que me dizia sempre:
- Aquela estrela é muito especial. Dizem que só aparece na noite de Natal, mas sabes netinha, sabes que nem todos conseguem ver o seu brilho dourado, só pessoas como tu e eu.
Olhei com mais atenção, mas não consegui ver o tal brilho, e fiquei triste!
- Mas eu não consigo ver o brilho dourado, essa estrela tem um brilho igual a todas as estrelas!
- Querida, não te preocupes com isso, um dia verás esse brilho - deu-me um beijo na testa e voltou para a cozinha.
Fiquei muito tempo a pensar naquilo, e olhei tantas vezes para a estrela, mas não conseguia mesmo ver, nem fiquei a perceber se a tal história que a minha avó me tinha contado era mesmo verdadeira. Ainda pensei perguntar ao meu pai ou à minha mãe, mas sempre achei que não percebiam as histórias da minha avó.
O tempo passou num instante e tinha chegado a hora de abrir os presentes. Tal como esperava, tive umas meias quentinhas, um gravador de música, um livro de histórias bíblicas e o meu avô deu-me uma nota de dois contos para eu gastar no que quisesse. Fui logo folhear o livro, gravar a minha avó a cantar e nem dei pelo tempo passar.
Recordo que no dia seguinte, depois de jantar, pus a minha fita e fomos todos ao café da mercearia. Eu ia pronta a gastar a minha nota em guloseimas e coisinhas boas para mim e para as manas.
No caminho, enquanto iam todos na conversa, voltei a olhar para as estrelas, mas achei que o brilho era sempre o mesmo.
Passámos à porta da igreja, reparei que estava uma velhota com ar tristonho e mão estendida a pedir esmola. Olhei para os olhos dela e pareciam mesmo tristes. Fiquei cheia de pena de a ver assim triste e com frio. Olhei para a minha avó, sem pensar duas vezes, tirei a nota do bolso e ofereci-a à pobre senhora.
- Avó, achas que podes ir comigo a casa buscar as meias quentinhas?
A minha avó não me disse nada, mas reparei que sorriu, ao mesmo tempo que as lágrimas espreitaram, mas como sempre segurou-as, pois os seus olhos eram doces demais. Eu perguntei:
- Estás triste?
Ela sorriu e começámos a percorrer o caminho de volta. Foi quando olhei para o céu e vi que a estrela tinha um brilho diferente, mais dourado. Fiquei admirada e ao mesmo tempo feliz, porque percebi finalmente a mensagem da história da estrela que a minha avó me tinha contado.
Afinal, basta ajudar alguém que precise, alguém que no lugar do peru quentinho, da lareira e da família, tem a tristeza como companhia, o frio como travesseiro e a solidão como abraço.
Só um pequeno e insignificante gesto como o meu basta, para vermos a estrela dourada, ainda mais dourada.


I'm wishing on a star
To follow where you are
I'm wishing on a dream
To follow what it means
And I'm wishing on the rainbows that I see
I'm wishing on the people who really dream
And I'm wishing on tomorrow, praying it will comes
And I'm wishing on the other things we have ever done

Sem comentários:

Enviar um comentário